Verdadeiro Mandarim pode ser o pai de Shang-Chi no novo filme da Marvel, segundo site

Verdadeiro Mandarim pode ser o pai de Shang-Chi no novo filme da Marvel, segundo site

Homem de Ferro 3 até hoje é um filme divisível entre os fãs da Marvel. Existem aqueles que curtem o filme e existem aqueles que detestam, e a principal causa do desgosto do segundo grupo atende pelo nome de Mandarim. Inicialmente o suposto vilão interpretado por Ben Kingsley acaba se revelando um ator contratado para interpretar o personagem diante das câmeras, e o verdadeiro responsável pelos aparentes ataques terroristas é Aldrich Killian (Guy Pearce).

A interpretação de Kingsley como o ator Trevor Slattery é muito divertida, mas ainda assim parte considerável do público odiou o plot twist, porque o Mandarim sempre foi o arqui-inimigo do Homem de Ferro nos quadrinhos e o filme nos privou de ver esses dois antagonistas se enfrentando. Ciente do problema que tinha nas mãos, o Marvel Studios produziu um curta chamado “All Hail The King“, que mostra Slattery na prisão e no qual, ao final, é revelado que o verdadeiro Mandarim existe e está furioso.

 

 

Contudo, as três primeiras fases do MCU chegaram ao fim, o Homem de Ferro se sacrificou e nada de Mandarim. Será que o clássico vilão dos quadrinhos vai mesmo ser esquecido e jamais utilizado? Talvez não.

Ainda que não seja uma informação dos bastidores, o site Screen Rant publicou uma teoria que faz todo sentido. De acordo com a publicação, o Mandarim, o verdadeiro, pode fazer sua estreia no cinema no filme de Shang-Ch, um dos próximos que serão produzidos pela Marvel.

Nos quadrinhos, Shang-Chi nasceu na província de Hunan na China, filho do criminoso Fu Manchu, que repetidamente tentou conquistar o mundo e tinha sede de sangue. Depois de ser treinado por Fu Manchu e seus instrutores, ele foi enviado em uma missão para assassinar o Dr. Petrie, mas acabou descobrindo que seu pai era um vilão e rebelou-se contra ele.

Fu Manchu não é uma criação da Marvel, mas do escritor britânico Sax Rohmer, que publicou o primeiro livro com o personagem em 1913. Com o passar do tempo, o personagem tornou-se um dos mais famosos da literatura pulp, aparecendo em filmes de aventura de matinês, sempre representando de modo estereotipado. Nos anos 70, quando a Marvel lançou a série Mestre do Kung-Fu, protagonizada por Shang-Chi, a editora adquiriu os direitos do uso do personagem de Rohmer para utilizá-lo como pai e principal vilão do herói.

Contudo, o direito de utilização do personagem expirou, e por isso o nome do pai de Shang-Chi foi mudado para Zheng Zu. Ainda que hoje os livros de Fu Manchu já estejam sob domínio público, o nome do personagem continua pertencendo aos herdeiros de Sax Rhomer. Por isso, o Screen Rant acredita que transformar o verdadeiro Mandarim, o líder da organização terrorista Dez Anéis, no pai de Shang-Chi seria uma medida inteligente da Marvel de conectar o personagem com as primeiras fases do MCU e resgatar um vilão que foi subutilizado no passado.

A ideia de Kevin Feige, presidente do Marvel Studios, é que o filme se afaste dos estereótipos étnicos e tenha um tom mais contemporâneo, como Pantera Negra. E até nisto a utilização do Mandarim casa perfeitamente.

O primeiro filme de um super-herói asiático da Marvel já tem roteirista e diretor, respectivamente (Os Mercenários/Zumbilândia 2/Mulher-Maravilha 1984) e Destin Daniel Cretton (Casteo9 de Vidro).  Shang-Chi foi criado por Jim Starlin e Steven Englehart e apareceu pela primeira vez em Special Marvel Edition #15 (dezembro de 1975) na esteira do sucesso dos filmes de artes marciais de Bruce Lee. Shang-Chi é mestre em todas as modalidades de Kung Fu e, mais recentemente, ao ingressar nos Vingadores, adquiriu a capacidade de multiplicar-se, criando cópias de si mesmo.

Comentários