Ray Fisher, o Ciborgue, faz acusação contra presidente da DC Films

Ray Fisher, o Ciborgue, faz acusação contra presidente da DC Films

Nesta sexta (04) tivemos um novo capítulo na exposed que Ray Fisher, o Ciborgue de Liga da Justiça, está promovendo contra Joss Whedon, diretor do filme, e Jon Berg e Geoff Johns, produtores. O alvo da fez foi ninguém menos que o próprio presidente da DC Films, Walter Hamada, que, segundo Fisher, tentou oferecer um acordo para salvar a pele de Johns.

“Assim, você pode entender melhor o quão profundo isso vai: Depois de falar sobre a Liga da Justiça, recebi um telefonema do presidente da DC Films, no qual ele tentava jogar Joss Whedon e Jon Berg sob o ônibus na esperança de que eu cedesse a Geoff Johns. Eu não vou.”

Pelo que é possível entender, Fisher está dizendo que Hamada aceitou queimar Whedon e Berg contanto que o ator livra-se Johns das mesmas acusações que alega ter contra os outros dois, que, de acordo com suas declarações, transformaram o set de filmagens de Liga da Justiça em um ambiente tóxico.

Em agosto último, Fisher acusou Johns de tê-lo ameaçado durante as refilmagens de Liga da Justiça para que não levasse adiante as reclamações que alega ter feito na época, e novamente agora, contra Joss Whedon, que fora contratado para substituir Zack Snyder.

“Durante as refilmagens de Liga da Justiça em Los Angeles, Geoff Johns me convocou a seu escritório para menosprezar e advertir as minhas (e de meu agente) tentativas de levar as queixas até a cadeia de comando adequada. Ele, então, fez uma ameaça velada à minha carreira. Este comportamento não pode continuar.”

Em julho, Ray Fisher disse estar montando um dossiê contra o diretor Joss Whedon.

“O que eu vou dizer em relação ao problema com Joss Whedon terá palavras muito duras e comentários muito duros, e cada uma destas palavras, cada um destes comentários será verdade”, disse Fisher (via Variety). “Eu levei dois anos e meio para conseguir todas as informações que precisava para ser capaz de construir algo  forte o suficiente de modo que as pessoas não pudessem desconsiderar.”

Fisher contou que ficou procurando pessoas que tivessem algo a dizer e perguntou se elas estariam dispostas a dar o seu testemunho.

“Estamos no processo de garantir que as pessoas possam contar suas histórias de uma maneira confidencial para que elas não sofram nenhum tipo de retaliação”, continuou Fisher. “Nós vamos chegar ao coração disso. E se alguma coisa que eu disse sobre essa homem é mentira, eu o convido a me processar por difamação, a me processar por calúnia.”

No primeiro dia de julho, Ray Fisher disparou graves acusações contra o diretor Joss Whedon e os produtores Geoff Johns e Jon Berg, afirmando que o cineasta tratou o elenco e a equipe do filme de forma abusiva, e que este comportamento teria sido respaldado pelos dois executivos da DC.

“O tratamento que Joss Whedon deu ao elenco e quipe de Liga da Justiça foi nojento, abusivo e antiprofissional, e completamente inaceitável. Ele foi apoiado, de muitas maneiras, por Geoff Johns e Jon Berg. Responsabilidade > Entretenimento.”

Procurados pela Variety, Joss Whedon, Jon Berg e Geoff Johns não responderam ao pedido para comentarem as mais recentes declarações de Ray Fisher.

A Snyder Cut de Liga da Justiça, em formato de minissérie de quatro episódios de uma hora de duração, tem lançamento previsto para 2021 na plataforma de streaming HBO Max, e, segundo o THR, fontes ouvidas pela publicação disseram que o estúdio vai despender entre US$ 20 e US$ 30 milhões para que a pós-produção do filme seja finalizada.

 

Comentários