Produtor de Liga da Justiça diz que acusações de Ray Fisher são mentiras

Produtor de Liga da Justiça diz que acusações de Ray Fisher são mentiras

Nesta última quarta (01), Ray Fisher, que interpretou o Ciborgue em Liga da Justiça, disparou graves acusações contra o diretor Joss Whedon e os produtores Geoff Johns e Jon Berg, afirmando que o cineasta tratou o elenco e a equipe do filme de forma abusiva, e que este comportamento teria sido respaldado pelos dois executivos da DC.

“O tratamento que Joss Whedon deu ao elenco e quipe de Liga da Justiça foi nojento, abusivo e antiprofissional, e completamente inaceitável. Ele foi apoiado, de muitas maneiras, por Geoff Johns e Jon Berg. Responsabilidade > Entretenimento.”

Joss Whedon e Geoff Johns ainda não se manifestaram a respeito da acusação, e a Warner Bros. não respondeu aos contatos da Variety, mas Jon Berg, em resposta à publicação, declarou que é “uma mentira categórica que eu tenha apoiado qualquer comportamento antiprofissional.”

“Eu lembro que ele [Fisher] ficou aborrecido porque queríamos que ele dissesse ‘Booyaa’, que é um bordão bem conhecido do Ciborgue na série animada”, completou Berg.

A acusação de Fisher veio na esteira de outra postagem dele no Twitter dois dias antes, quando se retratou por ter elogiado Joss Whedon durante a promoção de Liga da Justiça na San Diego Comic-Con.

A Snyder Cut de Liga da Justiça tem lançamento previsto para 2021 na plataforma de streaming HBO Max, e, segundo o THR, fontes ouvidas pela publicação disseram que o estúdio vai despender entre US$ 20 e US$ 30 milhões para que a pós-produção do filme seja finalizada.

Integrantes do elenco de Liga da Justiça foram informados que sua presença poderá ser requisitada para a gravação de áudios complementares, com novos diálogos.

 

Comentários