Novo romance de Star Wars explica um poder da Força e dá significado ao nome Skywalker

Novo romance de Star Wars explica um poder da Força e dá significado ao nome Skywalker

Dentre tudo que se convencionou chamar de Universo Expandido de Star Wars, a Trilogia de Thrawn, de Timothy Zahn, foi a que mais contribuiu para o cânone da saga no cinema e nas animações, com o próprio Grão-Almirante tornando-se personagem da série Star Wars Rebels. E a contribuição continua.

No novo romance de Zahn, Thrawn: Alliances, surge uma nova forma de entender um antigo poder jedi, a habilidade de usar os sabres de luz para bloquear os tiros de blasters. Além disso, o nome Skywalker ganha um novo significado.

De acordo com o site Screen Rant, Thrawn: Alliances é dividida em dois períodos: um deles mostra o primeiro encontro entre o Grão-Almirante e o Mestre Jedi Anakin Skywalker ao final da Guerra dos Clones, e o segundo, passado logo após o final de Uma Nova Esperança, quando o Imperador envia Thrawn e Darth Vader juntos em uma missão.

Em Thrawn: Alliances, Zahn estabelece que os jedi tem a capacidade de defender-se dos blasters com os sabres de luz porque eles possuem um grau de precognição,  o que é chamado pelo Grão-Almirante de “visão dupla”. Por uma fração de segundo, os jedi podem ver a realidade presente e uma futura ameaça. Esse vislumbre do futuro permite a um jedi antecipar os disparos e posicionar o sabre de luz na posição correta para bloqueá-los. Isto torna seu reflexos preparado para a defesa de ataques físicos. Mais ou menos algo como um “sentido de aranha”. A partir do conceito de “visão dupla”, Zahn introduz o “Skywalking“.

Parte da trama de Thrawn: Alliances é ambientada nas Regiões Desconhecidas, “uma área na qual o hiperespaço é deformado e distorcida por correntes de supernovas e, talvez, por uma colisão com uma galáxia de matéria negra. As deformações do tempo-espaço criadas pela flutuação da gravidade das massas torna viajar pelo hiperespaço dentro das Regiões Desconhecidas uma experiência extremamente perigosa, pois não existe rotas estáveis e um único erro pode levar a uma colisão com um planeta desgarrado ou uma estrela de nêutrons. A única forma de viajar pelas Regiões Desconhecidas é com a companhia de alguém com sensibilidade à Força. Assim como um jedi prevê o disparo de um blaster, um sensitivo à Força pode prever uma ameaça iminente da gravidade de uma massa.”

Os Chiss, povo de Thrawn, chamam aqueles que possuem essa sensibilidade à Força e a capacidade de navegar em segurança pelo hiperespaço nas Regiões Desconhecidas de “Skywalkers” (Andarilho do Céu), o que leva o Grão-Almirante a reagir com divertimento ao ser apresentado pela primeira vez ao jovem Mestre Jedi Anakin Skywalker. Dentre os Chiss, apenas algumas crianças – todas meninas – nascem com a sensibilidade à Força, perdendo esta capacidade a medida que crescem. No livro, Darth Vader pilota o Destróier Quimera, tornando-se um legitimo Skywalker ao navegar pelas bordas das Regiões Desconhecidas.

Fonte: Screen Rant

Comentários