Mulher-Maravilha 1984 despenca no Rotten Tomatoes e perde certificado de “fresh”

Mulher-Maravilha 1984 despenca no Rotten Tomatoes e perde certificado de “fresh”

A média de avaliação de Mulher-Maravilha 1984 no Rotten Tomatoes sofreu uma queda vertiginosa desde a estreia do filme, nos EUA, na plataforma de streaming HBO Max no último Natal. Ao ser lançado internacionalmente nos cinemas, dias antes, o filme estrelado por Gal Gadot alcançou 89% de média no RT, mas agora está ocupando a quinta posição dentre os filmes do universo compartilhado da DC com as menores notas no site.

Mulher-Maravilha 1984 tem até agora 59% de aprovação com 377 criticas contabilizadas, sendo 224 “fresh” (positivas) e 153 “rotten” (negativas). Com isso, o longa dirigido por Patty Jenkins perdeu o certificado de “fresh”.

O Rotten Tomatoes, site que agrega críticas e gera uma média das notas de avaliação do filme, distribui um certificado de Fresh” (fresco)  aos filmes que tenham aprovação superior a 75% depois de 80 críticas publicadas, sendo 5 destas resenhas consideradas top crítics.

 

 

Mulher-Maravilha, lançado em 2017, chegou a 97% de aprovação com 70 criticas contabilizadas naquela ocasião. Três anos depois, agora com 461 resenhas, a nota do filme é 93%.

Os únicos três filmes do DCEU com certificado “Fresh” são Mulher-Maravilha, Shazam (90%) e Aves de Rapina (78%). As piores avaliações são para Esquadrão Suicida (26%), Batman v Superman (28%) e Liga da Justiça (40%). Homem de Aço está um pouco abaixo de MM84, com 56%, enquanto Aquaman alcançou 65%.

O segundo filme solo da Mulher-Maravilha, com Gal Gadot vivendo novamente a princesa amazona, se passa durante o período de conflito entre Estados Unidos e União Soviética conhecido como Guerra Fria.

Os papeis de vilões estão a cargo de Kristen Wiig, que será a Mulher-Leopardo, ou Cheetah, na encarnação de Barbara Minerva, uma antropóloga britânica que se torna o avatar da deusa felina, e também de Pedro Pascal como Maxwell Lord.

O roteiro de Mulher-Maravilha 1984 foi escrito por Geoff Johns e pela diretora Patty Jenkins.

Comentários