Mulan não será censura livre nos EUA por causa da violência

Mulan não será censura livre nos EUA por causa da violência

Mulan, nova versão live action de uma animação da Disney, não será classificação livre nos EUA. O longa, que reconta a famosa história da guerreira chinesa, recebeu classificação PG-13 devido à violência.

O MPAA, órgão que define as classificações dos filmes nos EUA, estabeleceu que Mulan não terá entrada livre para todas as idades. Menores de 13 anos só poderão entrar acompanhados pelos pais. O motivo são sequências de violência.

 

O último filme live action da Disney a receber classificação PG-13 foi A Bela e a Fera, em 2017. Na ocasião, os motivos relatados foram: “algumas fantasias violentas, sensualidade e nudez parcial.”

Apesar de ter sido anunciado como uma adaptação da animação, o longa em live action de Mulan terá bastante diferenças em relação ao clássico da Disney. Além da saída de Li Shang, substituído por Chen Honghui, como novo interesse amoroso da heroína, a produção também tem Jet Li como o imperador da China e Gong Li como a vilã, uma bruxa que é uma personagem nova, criada especialmente para o filme.

Donni Yen (Rogue One: Uma História Star Wars) será o Comandante Tung, também um novo personagem criado para o filme, que é descrito como um mentor para Mulan, que será vivida por Liu Yifei.

Mulan, com direção de Nikki Caro (O Zoológico de Varsóvia/ A Encantadora de Baleias), vai estrear em 26 de março de 2020

Comentários