Mulan – exibidor destrói banner do filme após anúncio de lançamento no Disney Plus

Mulan – exibidor destrói banner do filme após anúncio de lançamento no Disney Plus

Na última terça (04) a Disney comunicou que, diante do quadro de manutenção da pandemia do novo coronavírus, Mulan, a maior aposta do estúdio para 2020, não mais será lançada nos cinemas e, sim, através da plataforma de streaming Disney Plus. O épico estará disponível em VOD (vídeo on demand) pelo valor de US$ 29,99 a partir do dia 04 de setembro nos Estados Unidos e nos demais países que contam com o serviço de streaming.

A decisão da Disney fez com que um exibidor usasse um bastão de baseball para destruir um banner de Mulan. O vídeo viralizou e pode-se dizer que representa bem o sentimento da indústria de cinema.

 

Além dos Estados Unidos, o lançamento em VOD também acontecerá no Canadá, Holanda, Austrália, Nova Zelândia, Índia, Japão e em parte da Europa ocidental (Grã-Bretanha, Irlanda, França, Alemanha, Itália, Espanha, Áustria e Suíça). Segundo o CEO Bob Chapek, a Disney Plus chegará na América Latina em Novembro.

Segundo a informação, Mulan deverá ser lançado no cinema nos países que ainda não contam com a plataforma Disney Plus, mas a data para que isto aconteça ainda não existe.

Originalmente Mulan teria seu lançamento mundial em 26 de março, mas foi posteriormente adiado para 25 de julho e, em junho, reagendado para 21 de agosto.

Apesar de ter sido anunciado como uma adaptação da animação, o longa em live action de Mulan terá bastante diferenças em relação ao clássico da Disney. Além da saída de Li Shang, substituído por Chen Honghui, como novo interesse amoroso da heroína, a produção também tem Jet Li como o imperador da China e Gong Li como a vilã, uma bruxa que é uma personagem nova, criada especialmente para o filme.

Donni Yen (Rogue One: Uma História Star Wars) será o Comandante Tung, também um novo personagem criado para o filme, que é descrito como um mentor para Mulan, que será vivida por Liu Yifei.

Comentários