George R. R. Martin usa bom humor para listar “furos” na história de O Senhor dos Anéis

George R. R. Martin usa bom humor para listar “furos” na história de O Senhor dos Anéis

George R. R. Martin é hoje o autor de fantasia mais popular e bem sucedido do mundo, com sua obra, ainda não acabada, tendo se transformada no maior fenômeno da TV em todos os tempos, Game of Thrones. O autor norte-americano nunca escondeu que sua principal inspiração é o trabalho do britânico J. R. R. Tolkien, mas isto não o impediu de criticar pontos da trama, como o retorno de Gandalf. E foi de maneira muito bem humorada que Martin listou o que ele considera supostos furos na história de O Senhor dos Anéis.

“É um dos maiores livros do século 20, mas isso não significa que ele seja perfeito”, disse Martin durante o discurso de aceitação de um prêmio na Inglaterra (via Digital Spy). “Eu continuo querendo discutir com o Professor Tolkien ao longo dos anos sobre certos aspectos dele [O Senhor dos Anéis]. Ele fez o que queria de forma brilhante, mas… eu olho pro final e lá diz “E Aragorn governou sabiamente e bem por 100 anos.”

“É fácil escrever essa frase”, ele continuou. “Mas eu quero saber qual foi sua política fiscal, e o que ele fez quando houve falta de alimentos? E o que ele fez com todos aqueles Orcs? Um monte de Orcs foram deixados para trás. Eles não mataram todos, eles fugiram para as montanhas. Será que Aragorn implementou um programa de genocídio de Orcs? Será que ele mandou seus cavaleiros matar todos os Orcs? Até mesmo os bebês Orcs? Ou houve um programa de reabilitação para Orcs, para ensiná-los a serem bons cidadãos.? E se os Orcs descendem de Elfos… poderiam Orcs e Elfos se casarem?”

Ainda que nenhuma dessas questões vá ser abordada por ela, dentro de pelo menos dois anos teremos uma série de O Senhor dos Anéis, que vai se passar durante a Segunda Era da Terra Média, que é marcada pela ascensão e queda da Ilha de Númenor, e vai até a Queda de Sauron perante a última aliança entre elfos e homens.

O espanhol J. A. Bayona, diretor de Jurassic World: Reino Ameaçado, foi contratado para dirigir os dois primeiros episódios da série. JD Payne e Patrick McKay são os roteirista e showrunner da série e  Brian Cogman, que foi produtor executivo e roteirista de Game of Thrones, participará como consultor.

Segundo Jennifer Salke, chefe da Amazon, a previsão é que a série seja lançada em 2021.

Comentários