Game of Thrones – mistérios sobre o nascimento de Jon Snow que a oitava temporada precisa esclarecer

Game of Thrones – mistérios sobre o nascimento de Jon Snow que a oitava temporada precisa esclarecer

Neste domingo (14) a oitava e última temporada de Game of Thrones tem início, marcando o fim de um hiato de mais de um ano. Serão apenas seis episódios para concluir a adaptação para a TV da obra de George R. R. Martin, e o que todos os fãs esperam é que, além de batalhas épicas e um desfecho dramático, dúvidas referentes aos vários mistérios da trama sejam tiradas.

Um dos pontos mais nebuloso é o nascimento de Jon Snow (Kit Harington).

Na season finale da sexta temporada de Game of Thrones descobrimos que Jon Snow (Kit Harington) é filho de Rhaegar Targaryen e Lyanna Stark, porém, sendo apenas fruto de um romance, isto não alteraria a sua condição de bastardo. Contudo, como todos já suspeitavam, em “The Dragon and The Wolf“, season finale da sétima temporada, foi revelado que Jon na verdade é o legítimo herdeiro do Trono de Ferro de Westeros, pois é filho legitimo de Rhaegar que se casara com Lyanna em uma cerimônia secreta. E não apenas isto, o nome do Rei do Norte não é Jon Snow, mas Aegon Targaryen VI.

 

Entretanto, longe de trazer luzes sobre o passado, a revelação tão importante, que será contada a Jon e Daenerys na oitava temporada, é responsável por lançar mais dúvidas e mistérios sobre o que realmente ocorreu entre Rhaegar e Lyanna e sobre a Rebelião de Robert. A seguir vou listar os principais questionamentos e explicar o seu contexto.

A anulação do casamento entre Rhaegar e Elia Martel.

É comum ver fãs dizerem que Rhaegar não precisaria anular o casamento com Elia, podendo ainda assim se casar com Lyanna porque a poligamia seria permitida entre os Targaryen. Isto foi verdade no começo, mas não existe mais permissão para poligamia em Westeros desde a Revolta da Fé Militante. Nos Sete Reinos, tampouco, existe o divórcio. Um casamento só pode ser desfeito por anulação. E a anulação só pode ser feita pelo Alto Septão ou um Concílio da Fé. Mas o que exatamente é usado como argumento para anular um casamento?

 

 

Os principais motivos são a não consumação da união, a bigamia (isto é, um dos dois já ser casado) ou mesmo a acusação de que o casamento foi realizado mediante coação, sem o consentimento de uma das partes. Sabemos que Rhaegar conseguiu que o Alto Septão anulasse o seu casamento com Elia Martell, mas qual foi o argumento utilizado? Como o casal já possuía filhos não seria possível alegar não consumação. Nenhum dos dois também tinha um casamento anterior. Terá sido então coação? O Príncipe teria alegado ter se casado contra sua vontade? Isto soa muito estranho. Portanto, espero que esta questão seja abordada no futuro.

O segredo de Rhaegar e Lyanna sobre o seu casamento

Apenas três pessoas em toda Westeros sabem que Rhaegar não raptou Lyanna, que ela estava com ele por amor. Estas pessoas são Bran Stark, Samwell Tarly e Howland Reed (pai de Meera), que acompanhou Ned Stark até a Torre da Alegria. Para todos os outros, a história registra que o Príncipe da Pedra do Dragão raptou Lyanna Stark, noiva de Robert Baratheon, e a violou. Esta suposição foi a responsável pelos acontecimentos que levaram a Rebelião de Robert.

 

 

Para recordar, a notícia do rapto de Lyanna chegou a seu irmão mais velho, Brandon, quando estes se dirigia para Correrio, onde o herdeiro de Winterfell se casaria com Catelyn Tully. Ao receber a noticia inverídica, Brandon e alguns companheiros seguiram para Porto Real, onde exigiram que o príncipe saísse para morrer. Mas Rhaegar não estava lá. O Rei Louco prendeu Brandon sob acusação de traição e exigiu que seu pai, lord Rickard Stark, se apresentasse para responder pelo filho. Ao comparecer diante de Aerys este matou pai e filho.

Faço dois questionamentos: onde estavam Rhaegar e Lyanna durante esse tempo? Porque não se apresentaram diante da notícia de que Brandon fora preso?

É compreensível que qualquer moça naquele contexto optasse por fugir ao invés de informar a seu pai que pretendia se casar com um homem já comprometido. Mas Lyanna Stark não era qualquer moça. Nos livros fica claro o seu temperamento altivo e desafiador, sobretudo nos eventos do Torneio de Harrenhal. Então, sim, seria difícil contar a família a sua decisão, mas a opção por fugir poderia ser tomada depois que houvesse a proibição. Mas fica ainda mais estranho imaginar que, em face da notícia de que seu irmão foi preso por acreditar que ela tivesse sido raptada, ela escolhesse permanecer em silêncio.

 

 

Após os assassinatos de Rickard e Brandon Stark, e a exigência do rei que Jon Arryn entregasse Robert Baratheon e Ned Stark, a Rebelião teve início e pouco poderia ter sido feita para detê-la. Contudo, ainda assim, algo poderia ser feito para evitar tantas mortes. O rei cometeu os cruéis assassinatos, mas não o príncipe. Rhaegar era amado pelo povo, ele tinha a lealdade de seus cavaleiros, poderia ter deposto o pai, tomado pela loucura, e ter assumido o trono, anunciando, então, seu casamento com Lyanna. Poderia até mesmo ter resolvido a contenda por meio de um combate singular com Robert, mas nada disso aconteceu. O príncipe enfrentou Robert, e morreu na Batalha do Trindente, sem revelar a verdade sobre seu relacionamento com a jovem Stark.

Por que permitir que tantas mortes acontecessem?

 

O nome Aegon e a bastardia dos filhos

Muitos fãs acreditavam que o nome verdadeiro de Jon Snow seria Jaehaerys, mas eis que Bran Stark, em suas visões, descobre que o nome do Rei do Norte é Aegon Targaryen. A grande dúvida aqui é: por que este nome? Rhaegar já tinha um filho chamado Aegon. Qual teria sido o motivo particular e especial que levou a escolha deste nome. Teria sido uma decisão unilateral de Lyanna ou um desejo do príncipe? Alguns fãs dizem que a mãe de Jon teria escolhido o nome Aegon ao saber da notícia que o filho de Rhaegar com Elia teria sido morto, e que a escolha seria uma homenagem ao jovem príncipe assassinado.

 

Acho um pouco difícil acreditar nisto. Primeiro, Rhaegar deixara seus filhos com Elia desamparados enquanto três cavaleiros da Guarda Real estavam em Dorne, guardando a torre onde Lyanna se encontrava dando à luz. Segundo, ao anular o casamento com Elia os filhos deste casamento, os pequenos Aegon e Rhaenys, continuavam príncipes ou tornaram-se bastardos? Seria de uma crueldade muito grande Lyanna dar a seu filho o nome do irmão deste que morrera justamente por causa do que ela fizera. A escolha do nome deve ter algum motivo. Rhaegar acreditava na profecia do Príncipe Prometido e é possível que esta seja a raiz de tudo.

Estas são apenas alguns questões que a revelação sobre a identidade de Jon Snow levantou, mas vasculhando bem podemos encontrar ainda outras. O importante é que tudo seja respondido na oitava temporada e também, de forma muito mais precisa e cuidadosa, nos próximos livros de As Crônicas de Gelo e Fogo.

A temporada final de Game of Thrones estreia em 14 de abril na HBO e terá apenas seis episódios. Os dois primeiros terão uma hora de duração e os quatro últimos 80 minutos.

Game of Thrones, com produção de David Weiss e D. B. Benioff, tem no elenco Emilia Clarke (Daenarys Targaryen), Kit Harington (Jon Snow), Lena Headey (Cersei Lannister), Peter Dinklage (Tyrion Lannister), Maisie Williams (Arya Stark), Sophie Turner (Sansa Stark), Isaac Hampsted-Wrigth (Bran Stark) Nicolaj Coster Waldau (Jaime Lannister), John Bradley-West (Samwell Tarly) Liam Cunningham (Davos Seaworth), Gwendoline Christie (Brienne de Tarth), Aidan Gillen (Peter Baelish), Ian Glenn (Sor Jorah Mormont), Nathalie Emmanuel (Misandei), Rory McCann (Sandor Cleganne), Alfie Allen (Theon Greyjoy), Jerome Flynn (Bronn), Conleth Hill (Lord Varys), Kristofer Hivju (Thormund).

 

 

Comentários