Christopher Nolan fala sobre a importância do cinema para o mundo pós-pandemia

Christopher Nolan fala sobre a importância do cinema para o mundo pós-pandemia

Christopher Nolan, um dos mais importantes cineastas da atualidade, publicou no The Washington Post (via Collider) um artigo falando sobre o impacto da pandemia na indústria e também sobre a importância do cinema para o mundo pós-pandemia do coronavírus. A indústria do cinema como um todo está dentre os setores mais afetados, pois o avanço da doença levou não apenas ao adiamento de lançamentos de filmes, mas também a paralisação de produções e ao fechamento de salas de cinema, afetando toda a cadeia produtiva do setor. Os prejuízos nos próximos meses são inimagináveis, mas haverá uma saída, segundo Nolan.

Veja abaixo alguns trechos do artigo de Christopher Nolan:

“Quando as pessoas pensam sobre filmes, imaginam primeiro as estrelas, os estúdios, o glamour. Mas o negócio de cinema envolve todo mundo: as pessoas que trabalham no snack bar, que operam os equipamentos, que vendem ingressos, que reservam filmes, vendem publicidade e limpam os banheiros e as salas de exibição. Pessoas comuns, muitas que ganham por hora ao invés de salários, ganhando a vida no mais acessível e democrático de nossos locais de reunião.”

“Eu espero que as pessoas estejam vendo nossa comunidade de exibição como ela realmente é: uma parte de vital da vida social, provendo empregos para muitos e entretenimento para todos… Como cineasta, meu trabalho nunca poderá ser completo sem estes trabalhadores e o público que eles recebem.”

“Além da ajuda que os funcionários de cinema precisam do governo, a comunidade de exibidores precisa da estratégia e parceria inovadora dos estúdios. As últimas semanas tem sido uma lembrança, há coisas na vida que são mais importantes do que ir ao cinema. Mas quando você considera tudo que o cinema provê, talvez não sejam tantas quando se pode pensar.”

“As salas de cinema estão às escuras, e continuarão assim por algum tempo. Mas filmes, ao contrário de produtos não vendidos ou empréstimos, não deixam de ter valor. Muito de sua perda a curto prazo é recuperável. Quando a crise passar, a necessidade por engajamento humano coletivo, a necessidade para viver e amar e rir e chorar juntos, será mais poderosa do que nunca.”

“A combinação dessa demanda reprimida e a promessa de novos filmes poderia impulsionar as economias locais e contribuir com bilhões para nossa economia nacional. Nós não apenas devemos isso aos 150 mil trabalhadores da grande indústria americana para incluí-los dentre aqueles que ajudamos, nós devemos isso a nós mesmos. Nós precisamos do que os filmes podem nos oferecer.”

O novo filme de Christopher Nolan, Tenet, está agendado para estrear em 17 de julho. Nesta última terça (24), a Warner anunciou o adiamento de Mulher-Maravilha para 14 de agosto, mas manteve inalterada a data de lançamento de Tenet, que pode ser um dos poucos filmes não afetados pela pandemia do coronavírus.

 

 

Comentários