Chris Evans explica porque não quer voltar a atuar como Capitão América

Chris Evans explica porque não quer voltar a atuar como Capitão América

Chris Evans aceitou o papel de Capitão América na Marvel após ser convencido pela sua mãe de que era a coisa certa a fazer, e não se arrependeu, muito pelo contrário. O ator de 38 anos já declarou que interpretar Steve Rogers foi a melhor coisa que aconteceu em sua carreira, no entanto, ele encerrou esse ciclo de sucesso e não pretende retornar após ter aposentado o escudo em Vingadores: Ultimato (2019).

Durante participação no programa The Graham Norton Show (via Digital Spy), Evans explicou porque não quer reprisar o papel do Capitão América.

“Sim. Eu acho que é”, respondeu Evans quando perguntado se Ultimato é o fim de sua passagem como Capitão América. “Foi uma grande jornada e nós atingimos um nível tão alto que, na minha opinião, seria um risco revisitar. Foi uma experiência muito boa e acho que é melhor deixá-la desse jeito.”

Ao ser questionado se existe alguma possibilidade de voltar a reprisar o papel, Evans explicou porque não está inteiramente descartado, mas que é muito improvável que aconteça.

“Não é um não definitivo, mas não é um sim ansioso também. Eu acho que eles fizeram um bom trabalho deixando-o completar sua jornada. Se você for revisitá-lo, não pode ser por causa de dinheiro. Não pode ser apenas porque o público quer estar empolado. O que vamos revelar? O que vamos acrescentar a história? Muitas coisas teriam que estar reunidas.”

Chris Evans interpretou Steve Rogers em Capitão América: o Primeiro Vingador (2011), Vingadores (2012), Capitão América: Soldado Invernal (2013), Vingadores: Era de Ultron (2015), Capitão América: Guerra Civil (2016), Vingadores: Guerra Infinita (2018), Vingadores: Ultimato (2019) e também fez pequenas participações especiais em Thor: O Mundo Sombrio (2013) e Homem-Aranha: De Volta ao Lar (2017).

Vingadores: Ultimato se tornou um dos maiores fenômenos da história do cinema em termos de popularidade, reflexo cultural e bilheteria, conquistando o posto de maior bilheteria de todos os tempos, antes ocupado por Avatar (2009). título de maior bilheteria da história foi alcançado com US$ 2,8 bilhões.

O impacto de Vingadores: Ultimato fica ainda mais marcante quando se tem em conta que, um ano depois, a indústria de cinema está paralisada por conta da pandemia do novo coronavírus.

 

Comentários