Autor de Maus revela censura da Marvel a texto no qual faz referência a Trump

Autor de Maus revela censura da Marvel a texto no qual faz referência a Trump

Art Spiegelman, autor da mais aclamada graphic novel de todos os tempos, Maus, ganhadora do Prêmio Pulitzer de Literatura, revelou ao jornal inglês The Guardian que sofreu censura por parte da Marvel Comics por causa de uma referência feita ao presidente Donald Trump em um artigo que escreveu para uma edição comemorativa da editora.

Segundo Spiegelman, ele foi convidado para escrever um ensaio introdutório para o livro Marvel: The Golden Age 1939–1949, que relembra a fase inicial dos super-heróis na editora, justamente durante o período da Segunda Guerra Mundial, criados por artistas judeus como Joe Simon e Jack Kirby.

Spiegelman aceitou o convite e escreveu o texto, que é encerrado da seguinte maneira:

“No mundo tão real de hoje, o mais nefasto vilão do Capitão América, está vivo na tela em uma América assombrada por uma Caveira Laranja.”

Em junho foi dito a Spiegelman que a parte final, que fala sobre Caveira Laranja, deveria ser removida, pois a Marvel deseja permanecer apolítica. (Algo que, diga-se de passagem, a Marvel Comics nunca foi). Portanto, ou ele retiraria essa sentença específica ou o texto não seria publicado, e o autor, então, negou-se a retirar a passagem.

Falando ao The Guardian, Spiegelman fez uma comparação entre o que está acontecendo no mundo atualmente e o crescimento do fascismo nos anos 30:

“Eu não penso em mim mesmo como um especialista em política comparada, mas quando requisitado a matar uma relativamente inofensiva referência a uma Caveira Laranja eu percebo que, talvez, seja irresponsabilidade  levar na brincadeira a ameaça existencial que estamos vivendo, e eu retirei minha introdução.

O fascismo internacional novamente emergiu com força… e os deslocamentos que tiveram seguimento após o colapso econômico de 2008 ajudaram a nos deixar em ponto no qual o planeta em si parece que vai entrar em colapso. O Armageddon parece, de alguma maneira, plausível e nos tornamos todos crianças assustadas por forças maiores do que poderíamos imaginar, procurando por alivio e respostas em super-heróis voadores que cruzam as telas de nossas capelas dos sonhos.”

A censura a referência ao atual presidente dos EUA, se deu porque Isaac ‘Ike’ Perlmutter, presidente da Marvel Entertainment, é um amigo e colaborador de campanha de Donald Trump, tendo recentemente doado o valor de US$ 360 mil, o máximo permitido pela lei, para a campanha de reeleição do atual ocupante da Casa Branca.

Maus (“rato”, em alemão) é a história de Vladek Spiegelman, judeu polonês que sobreviveu ao campo de concentração de Auschwitz, narrada por ele próprio ao filho Art.

Comentários