Steven Spielberg quer impedir que filmes da Netflix possam concorrer ao Oscar

Steven Spielberg quer impedir que filmes da Netflix possam concorrer ao Oscar

Segundo especialistas um dos fatores que contribuiu para a vitória inesperada de Green Book na mais recente cerimônia do Oscar foi a resistência de considerável parte dos membros votantes da Academia de premiar o longa Roma, de Alfonso Cuarón, com o prêmio máximo da noite em razão deste ser uma produção da Netflix.

Passados alguns dias, um dos nomes mais influentes de Hollywood, Steven Spielberg, vocalizou a discriminação em relação à participação das plataformas de streaming no Oscar. De acordo com o IndieWire, o diretor está encabeçando um movimento que pretende mudar as regras da Academia para impedir que outro caso como o de Roma aconteça.

“Steven acha que existe uma grande diferença entre streaming e lançamento nos cinemas”, disse um porta-voz da Amblin, a produtora de Spielberg. “Ele ficará feliz se outros juntarem-se a ele [na campanha].”

Foi divulgado recentemente que a Netflix gastou cerca de US$ 50 milhões na campanha de promoção de Roma, uma fortuna até mesmo para os padrões dos grandes estúdios, e o movimento que tem Spielberg como principal representante alega que a concorrência entre a Netflix e o cinema propriamente dito é desleal pelos seguintes motivos:

  1. Roma passou apenas três semanas em exibição em cinemas, atendendo a um requisito mínimo da Academia.
  2. A Netflix não respeita o prazo mínimo de 90 dias entre o lançamento nos cinemas e a disponibilidade em home vídeo.
  3. Os filmes da Netflix estão disponíveis em 190 países, 24 horas por dia, o que daria a eles uma grande vantagem sobre demais concorrentes.
  4. A Netflix não divulga os números de visualizações, ou bilheteria

Spielberg já tinha declarado anteriormente que produções da Netflix e demais plataformas de streaming deveriam concorrer ao Emmy, o prêmio da TV, e não ao Oscar.

“Se você produz para um formato de televisão, é um filme de TV”, disse em entrevista a ITV News em março de 2018. “Se for bom, certamente merece um Emmy, mas não um Oscar. Eu não acredito que filmes que se qualificaram simbolicamente sendo exibidos por menos de uma semana na telona devam concorrer ao Oscar.”

 

 

A discussão a respeito da criação de regras que impeçam filmes da Netflix de concorrer ao Oscar a partir do próximo ano promete ficar muito acalorada, pois se a gigante de streaming não alcançou seu objetivo este ano com Roma, muitos acreditam que isto possa ocorrer no próximo ano e pelas mãos de outro monstro sagrado de Hollywood, como Spielberg. The Irishman, com direção de Martin Scorsese, e protagonizado por  Robert DeNiro e Al Pacino, é uma grande produção da Netflix que já está sendo apontada como o filme que pode realmente dar o Oscar a Netflix.

 

Comentários