Detetive Pikachu 2 – sequência é oficializada antes mesmo do primeiro filme estrear

Detetive Pikachu 2 – sequência é oficializada antes mesmo do primeiro filme estrear

Oren Uziel (Anjos da Lei/O Paradoxo Cloverfield) foi contratado pela Legendary para escrever a sequência de Detetive Pikachu. A informação é do THR. Isto é uma demonstração de que o estúdio está muito confiante em relação ao sucesso do primeiro filme, que tem Ryan Reynolds dublando Pikachu.

“A história começa quando o investigador particular Harry Goodman desaparece misteriosamente, o que leva seu filho de 21 anos, Tim, a tentar descobrir o que aconteceu. Colaborando na investigação, o antigo parceiro de Harry, Detetive Pikachu, um hilariante, piadista e adorável investigador que confunde até a si mesmo. Descobrindo que possuem a capacidade de se comunicar um com o outro, Tim e Pikachu tornam-se relutantes parceiros em uma emocionante aventura para desvendar o mistério. Perseguindo pistas através das ruas iluminadas a neon de Ryme City, uma enorme e moderna metrópole na qual humanos e pokémons convivem em um mundo hiper-realista, eles encontram uma grande diversidade de pokemons e descobrem uma trama chocante que pode destruir a coexistência pacífica e ameaçar todo o Universo Pokémon.”

Além de Ryan Reynolds dublando o personagem título, também estão no elenco Justice Smith, Kathryn Newton, Ken Watanabe, Bill Nighy e Suki Waterhouse. Newton deve viver uma jornalista que se juntará a Justice Smith (The Get Down) e a um Pikachu, que ele herdou de seu pai, para desvendar uma série de crimes envolvendo uma onde de pokemóns que se tornaram ferozes e passaram a atacar seus treinadores. O  garoto, chamado Tim Goodman, descobre que consegue entender o que Pikachu (Ryan Reynolds) fala através das infinitas repetições de seu próprio nome.

Pokemon: Detective Pikachu tem direção de Rob Letterman (GoosebumpsMonsters vs. Aliens) e roteiro de Alex Hirsch (Gravity Falls’: Um Verão de Mistérios)  e Nicole Perlman (Guardiões da Galáxia). A data de estreia é 10 de maio nos EUA.

Comentários